26 março 2009

Dicionário Alentejano-Português U-V-X-Z

Interior de Casa Alentejana

Muitas mais palavras existem, "mas nã ma lembra", ademais sempre vivi e estudei na "cedadi", daí os "Compadres e Comadres" me desculpem o meu pouco vocabulário desta fala, que quando se fala, mais parece "cante"(cantar alentejano).
Cantem, cantem amigos cantem...

Trago Alentejo na voz
Do cantar da minha gente
Ai rios de todos nós
Que te perdes na corrente
Ai planícies sonhadas
Ai sentir de olivais
Ai ventos na madrugada
Que me transcendem demais....

Então continuando e "pra findar" cá vai o "restante" do dicionário.

U
Untar o pão----------------------Barrar o pão

V
Vais ter um lindo enterro--------(exp.) não ter êxito
Vazar a bolsa--------------------Ejacular
Velháca--------------------------má
Viro-te as tripas ao contrário---Ameaça de agressão fisica
Viro-te do avesso----------------Ameaça de agressão fisica
Viu uma data deles---------------(exp.)viu muitos
Vocemessê------------------------Você
Vreda----------------------------Vereda (atalho, caminho)

X
Xaparro---------------------------Azinheira Pequena
Xonar-----------------------------Dormir
Xumela----------------------------Almofada

Z
Zoio------------------------------Alegremente alcoolico
Zaragata--------------------------Desordem
Zéi-------------------------------(Zé) José


Click para iniciar a audição e siga a letra aqui exposta


Trago Alentejo na Voz - Antonio Zambujo

Trago Alentejo na voz
Do cantar da minha gente
Ai rios de todos nós
Que te perdes na corrente
Ai planícies sonhadas
Ai sentir de olivais
Ai ventos na madrugada
Que me transcendem demais

Amigos, amigos
Papoilas no trigo
Só eu as tenho
E de braço dado contigo a meu lado
é de lá que eu venho
E de braço dado
Cantando ao amor
Guardamos o gado, papoilas em flor,
Que o vento num brado
Refresca o calor
E de braço dado, contigo a meu lado
Cantamos o amor

Ai rebanhos de saudades
Que deixei naqueles montes
Ai pastores de ansiedade
Bebendo água nas fontes
Ai sede das tardes quentes
Ai lembrança que me alcança
Ai terra prenhe de gente
Nos olhos duma criança

Click para iniciar a audição desta linda canção interpretada pela Tuna Académica da Universidade de Évora


Meu alentejo - TAUE

Agora que aqui cheguei, só me resta ir amanhã e bem cedinho ao Aeroporto de Lisboa esperar certa moça....rssss

7 comentários:

tossan disse...

Mais um show de postagem, agora com um belo poema! Gostei muito. Abraço

paula barros disse...

Olá, nem xonei direito e já acabou o alfabeto.

Jà posso comprar a passagem?

Com essas casas lindas por dentro e por fora, e com amigos no Alentejo é só ir. rsrsr


Agora vamos ao cardápio que vou saborear.

beijos

Ana Tapadas disse...

Muito interessante, amigo jardineiro!
beijinho

VANUZA PANTALEÃO disse...

Belo retorno, pois a saudade já me corroía o coração!
O Alentejo e suas raízes filológicas sendo desvendadas, que maravilha!!!Bjsss

VANUZA PANTALEÃO disse...

Belo retorno, pois a saudade já me corroía o coração!
O Alentejo e suas raízes filológicas sendo desvendadas, que maravilha!!!Bjsss

VANUZA PANTALEÃO disse...

Rsss...saiu em dose dupla!
Aproveito para lhe desejar um bom final de semana!!!

paula barros disse...

Voltei para ler o final, uma falta de atenção, provocada pelo clique aqui na música. Fui ouvir a música e viajar nos pensamentos.

Que essa moça possa realizar o sonho dela. rsrsr

Com um amigo Jardineiro de Plantão, na Primavera que se inicia, com Rosas a florir o caminho, sua amiga vive sonhando....

abraços floridos.

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin