23 março 2009

Dicionário Alentejano-Português M-N

Casa típica Alentejana

Continuação, agora as letras M e N


Na continuação da aprendizagem desta lindíssima fala hoje 'ma lembrei':

Maneli, manganão, aperrolhado com a magana da Lela, maltês nesta e noutra vida, não pára na canastra já não diz coisa com coisa e anda sempre de nariz aceso.

Traduzindo
Manuel, homem de má idole , está junto com Lela mulher de vida fácil, nunca pára em casa e não consegue estar parado, está doidinho de todo e o seu nariz está sempre a pingar...

M
Magana----------------------Mulher velhaca, trapaceira
Mal criado------------------Mal-educado
Maltês----------------------Homem que não para em casa
Maneli----------------------Manuel
Manganão--------------------Homem grande, homem de má índole
Manhêm----------------------Manhã
Maniento--------------------Vaidoso, pessoa com ar importante
Marrafa---------------------Risco no cabelo depois penteado
Mê filho--------------------Meu filho
Metêssi---------------------Metesse
Migalheiro------------------Mealheiro

Mijar-----------------------Urinar
Missão----------------------Missa demorada
Mudar a água às azeitonas---Urinar

Murtado---------------------Multa


N
Nã--------------------------Não
Neque tá--------------------Onde está
Na te entéras---------------exp.) Não sabes?
Na paras na canastra--------(exp.) não estás sossegado - não consegues estar parado Na diz coisa com coisa------(exp.) Já não sabe o que diz
Na quer as sopas------------(exp.) Quando se está a tentar fazer alguma coisa e não se consegue
Nariz aceso-----------------Constipação no nariz

Nôte------------------------Noite

Nomi------------------------Nome

Na te rales-----------------(exp.)não te preocupes

Na paras em ramo verde------(exp.)não está sossegado - não consegue estar parado
Na dá mão-------------------(exp.)Não liga ao que lhe dizem
Na ai----------------------- exp.)Não há

Na dá conta do recado-------(exp.)Não consegue tratar das tarefas que se propôs



História de Alentejano

Um miudo Alentejano pergunta ao pai como se fazia um filho.
Diz o pai:
- Ora, mete-se a pilinha num buraquinho e pronto faz-se um filho.
Um dia estava o alentejanito a mijar num buraco de parede e salta de lá um grilo, vai o moço e diz assim:
- Porra, logo preto e com cornos, se não fosses meu filho acabava-te já com o cagar.

3 comentários:

paula barros disse...

rsrsr Essa do grilo está ótima.


Ô, amigo, pensava eu que você ia postar o alfabeto letra por letra e de quinze em quinze dias no mínimo. Desse jeito vejo me viagem ter que ser adiada. buá, buá

abraços de estima.

Sérgio Araújo disse...

Olá,

Esse linguajar alentejano tem muito a ver com o português falado em algumas comunidades rurais do nordeste do Brasil.
Exeplos como:Mal criado, murtado, etc.
Aqui também temos: em riba de, pru mode, cuma, isguieiá, apois, ômi, fiu, muié,etc.
Vê se consegue traduzir. Se não conseguir faça um comentário em meu blog que eu te dou a tradução e muito mais deste falar.

Um abraço.

Sérgio Araújo disse...

Caro Carlos,

Acabei de te enviar um E.Mail para:jardimdeurtigas@gmailcom
com um poema de Elomar Figueira, um cantador baiano e sertanejo que retrata bem o falar do nosso povo.
Espero que goste.

Um abraço

Sérgio.

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin